Destinação de resíduos NORM da indústria de óleo e gás
Este projeto de pesquisa tem por objetivo a delimitação de soluções no tangente à destinação final e tratamento de materiais radioativos de ocorrência natural – NORM – e de baixa atividade específica gerados pelas atividades da indústria de óleo e gás no Brasil, de forma segura para a sociedade, para o meio ambiente e para as futuras gerações. O projeto é desenvolvido em cooperação com o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN/CNEN) e conta com financiamento da Equinor via ANP.
Aplicação da análise elementar e isotópica na Química Forense
Ao contrário de que nos foi ensinado, a composição isotópica dos elementos não é constante, podemos variar com uma série de fatores, a própria IUPAC reconhece tal fato não fixando uma massa atômica, para vários elementos, e sim uma faixa de variação. São diversas as causas para esta variação como processos ambientais e bioquímicos para os elementos leves como H, O, C , N e S, e como a presença de minerais assessórios no caso do Pb.
 
Essas variações isotópicas podem ser utilizadas na Química Forense no estudo da origem de alimentos e drogas, adulteração de produtos ou na identificação de fragmentos de projetis.

A associação deste tipo de informação com a composição elementar, fornece, através de técnicas quimiométricas, uma ferramenta importante da comprovação de fraudes e na obtenção de provas criminais. 
Financiamento: CNPQ
Investigação da ocorrência de concentrações elevadas de urânio em águas subterrâneas da Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro
Apesar do elevado índice pluviométrico, os municípios da Região Serrana sofrem com a escassez de água nos meses de inverno, quando as chuvas desaparecem. Nos últimos anos, tem havido uma superexploração das águas subterrâneas com uma explosão de novos poços artesianos. Consequentemente, os poços têm se tornado cada vez mais profundos de modo a garantir água de boa qualidade e em abundância. Em paralelo, tem-se verificado um aumento na frequência de casos de amostras, encaminhadas ao Laboratório de Caracterização de Águas/PUC-Rio, contendo concentração de urânio muito acima do limite de 30 ug/L existente na portaria MS 2914/2011.

Neste sentido, o presente projeto objetiva estudar qual a abrangência geográfica e quais os parâmetros que levam à estas concentrações elevadas de urânio elevadas. Objetiva, também, alertar as autoridades do estado para esta situação uma vez que algumas cidades da região fazem uso de poços artesianos para fins de abastecimento público.

Financiamento: FAPERJ
Aplicação de radionuclídeos naturais em estudos ambientais
•  Projeto MOVASC – Modelagem de Vazão – Sedimento -Clima

Principal sistema de geração do Grupo Light, o Complexo de Lajes começou a ser construído em 1903 (Figura 4). Hoje, as três hidrelétricas do Complexo de Lajes somam uma capacidade instalada de 612 megawatts. O empreendimento também inclui duas usinas elevatórias: Santa Cecília, em Barra do Piraí, e Vigário, em Piraí, que viabilizam a transposição de parte das águas do Rio Paraíba do Sul para a Bacia do Rio Guandu e garantem o abastecimento de água para a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Pelas usinas e reservatórios da Light Energia passam 96% da água que é consumida na cidade do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense. 
Desde a sua inauguração, os reservatórios, do sistema, têm sofrido uma perda da sua capacidade de armazenamento devido ao seu assoreamento, que é crescente em consequência de processos antrópicos em sua bacia hidrográfica. O projeto MOVASC é um consórcio entre a PUC-Rio, COPPE/UFRJ e a Universidade Federal de Campina Grande (PB), e possui três linhas mestre de investigação que serão, ao final do projeto, integradas.

•  Climatologia

•  Hidrologia

•  Assoreamento de reservatórios

O estudo do assoreamento de reservatórios envolve os reservatórios de Santana e Vigário, sendo o reservatório de Santana (7) é aquele que recebe as águas desviadas do Rio Paraíba do Sul e as transpõe (6) para o reservatório de Vigário (5) e de lá para a Usina Hidrelétrica de Fontes Nova, localizada ao pé da serra da Estrada Rio-São Paulo.

•  Aplicação da geocronologia de sedimentos, 210Pb, no estudo do assoreamento da Baía da Guanabara

Dentro do escopo do projeto “Comparative Geochronological Studies of the Heavy Metals and Selected Organic Compounds on Guanabara and Todos os Santos Bays Sediments”, desenvolvido em cooperação com a Universidade Federal da Bahia (UFBa), com apoio financeiro da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA), desde 2018 vem sendo desenvolvido o estudo da variação temporal das taxas de assoreamento na Baía da Guanabara, empregando-se a técnica do 210Pb. O projeto tem encerramento previsto para 2021. 
O presente projeto tem como objetivo atualizar cronologicamente os níveis de taxa de sedimentação obtidos em pontos anteriormente estudados por Godoy et.al. (2012) e Lima (1996), os quais podem ser utilizados para a avaliação do histórico de poluição neste relevante nicho ecológico. Dentro desta perspectiva, serão determinadas concentrações de metais pesados por perfilagem, sendo posteriormente, correlacionadas as flutuações nos níveis de concentração obtidos em relação ao histórico de eventos naquela região.